Você está aqui: Página Inicial > Pontes e viadutos tomam forma nas obras da BR-285 em Santa Catarina

Notícias

Pontes e viadutos tomam forma nas obras da BR-285 em Santa Catarina

por publicado: 24/10/2017 16h16 última modificação: 24/10/2017 16h21

Reduzir distâncias e transpor obstáculos são funções essenciais das pontes e viadutos na engenharia rodoviária. Não à toa estas estruturas são chamadas de Obras de Arte Especiais, pois aliam conhecimento técnico e criatividade no trabalho com o concreto. Nas obras de implantação e pavimentação da BR-285/RS/SC, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC) avança com os serviços previstos para o segmento catarinense.

O projeto desenvolvido em Timbé do Sul conta com duas pontes no perímetro urbano. A primeira, que cruza o rio Rocinha, possui 70 metros de comprimento. A obra está na etapa da superestrutura (vigas, travessas e lajes) e tem previsão de entrega para o final deste ano. Já a ponte sobre o rio Serra Velha, que tem 87,7 metros, está pronta. A utilização de concreto moldado in loco foi o método construtivo aplicado em ambas, o qual consiste em preparar os elementos no local definitivo em que a estrutura ficará estabelecida.

Conforme o DNIT/SC, os quatros viadutos projetados também estão em bom ritmo de execução na Serra da Rocinha. O objetivo destas passagens é aperfeiçoar o traçado com a suavização das curvas mais fechadas. A execução é feita por meio de fundação com tubulões, técnica em que elementos estruturais são constituídos concretando-se um poço aberto no terreno da construção. Para se ter uma ideia, a profundidade média varia de 8 a 13 metros. Nas escavações ainda foi empregado o processo de remover as rochas com detonação de explosivos. Além disso, a exemplo das pontes, os viadutos também são moldados in loco. O mais avançado e que deve ser concluído em janeiro/2018 é o V1 (km 48+800). Com 81 metros de extensão e 12 pilares de sustentação, este viaduto conta com atividades referentes à superestrutura. Nos demais estão sendo executadas as fundações. As dimensões médias de cada estrutura estão detalhadas no quadro a seguir.

Viaduto                         Pilares        Comprimento       Altura 

V1 (km 48+800)                12             81 metros         7,5 metros

V2 (km 50+300)                12             98 metros          6,4 metros

V3 (km 52+000)                12            107 metros        5,0 metros

V4 (km 54+300                 14            123 metros        9,5 metros

Todas estas obras de arte consumirão mais de 16 mil metros cúbicos de concreto e cerca de 700 toneladas de aço. Também destacam-se na serra os trabalhos de terraplenagem, os quais alcançaram índice de 50% de conclusão. Das três passagens exclusivas para fauna - espécies de túneis sob a rodovia - duas foram finalizadas e uma está em obras. O primeiro trecho a receber pavimentação será o contorno urbano de Timbé do Sul. Com a instalação da usina de britagem em andamento ao lado do canteiro de obras, o consórcio construtor prevê que em novembro sejam iniciadas as camadas de sub-base e base.

No trecho urbano, entre o final do asfalto e o pé da serra, a distribuidora de energia elétrica realiza a realocação dos postes para viabilizar as obras de alargamento e rebaixo da via atual. O projeto neste local contempla duas pistas com largura total de sete metros, além de calçadas. Em virtude de demanda da comunidade, o DNIT/SC estuda a inclusão de segmentos com ciclofaixas.

24/10/2017

ASCOM/DNIT/SC - Gestão Ambiental