Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Rodoanel, a maior obra viária do Brasil

Notícias

Rodoanel, a maior obra viária do Brasil

por publicado: 19/02/2016 16h51 última modificação: 19/02/2016 16h51

Maior e mais complexo projeto de transporte urbano do Brasil, o Rodoanel Mário Covas, também conhecido como Rodoanel Metropolitano de São Paulo, é uma autoestrada composta por duas pistas de rolamento, com três faixas de tráfego cada, que está sendo construída em torno do centro da Região Metropolitana de São Paulo. O Rodoanel aliviará o intenso tráfego de veículos pesados oriundos do interior do estado e das diversas regiões do país que hoje cruzam as duas vias urbanas marginais da cidade (Pinheiros e Tietê), provocando uma grave situação de congestionamento urbano.

O empreendimento busca a melhoria da qualidade de vida da Grande São Paulo, tornando o trânsito da cidade mais ágil, eliminando o tráfego pesado de cargas de passagem e fazendo a ligação de todas as rodovias ao porto de Santos por fora da área urbana. Quando totalmente pronto, deixará a cidade livre para os transportes coletivo e individual.

Com extensão total de aproximadamente 180 quilômetros, a rodovia interligará os grandes corredores de acesso à metrópole. O projeto contempla dispositivos e medidas operacionais que visam reduzir as consequências de acidentes com cargas perigosas, controlando e impedindo a contaminação ambiental. Nos túneis, está prevista a implantação de sistemas de ventilação e filtros, facilitando a dissipação dos gases já devidamente filtrados.

O Rodoanel é uma rodovia definida como de classe zero. Isso significa que o anel viário constitui uma estrada de alto padrão tecnológico com acesso restrito às estruturas viárias além das interligações previstas em seu projeto. A rodovia está projetada para se localizar em uma faixa que varia entre 20 e 40 quilômetros do centro da capital paulista. A obra está dividida em quatro trechos – Oeste, Sul, Leste e Norte. Mais de 75% da via foi entregue até o momento, compreendendo os trechos Oeste, Sul e Leste inaugurados, respectivamente, em 2002,2010 e 2015. O trecho Norte, ainda em construção, está previsto para ser inaugurado em 2019, de acordo com o Plano de Trabalho em análise pelo Governo do Estado de São Paulo.

Quando finalizado, o Rodoanel interligará os dez principais eixos rodoviários que conectam a Região Metropolitana de São Paulo com o interior e litoral do estado, bem como com outras capitais brasileiras. O trecho oeste, o primeiro a ser construído, interliga as rodovias Anhanguera, Bandeirantes, Presidente Castelo Branco, Raposo Tavares e Régis Bittencourt. Os demais trechos interligarão, de acordo com os planos do governo estadual, as rodovias Imigrantes, Anchieta, Ayrton Senna, Presidente Dutra e Fernão Dias.

Para a execução do empreendimento, foi celebrado um convênio entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, DNIT, e o Estado de São Paulo, através da Secretaria de Estado de Transportes,  com interveniência da DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A. De acordo com a Superintendência Regional do DNIT no estado de São Paulo, o valor atualizado da obra ultrapassa 13 bilhões de reais.  

Trecho Oeste
O trecho Oeste, o primeira das quatro etapas do Rodoanel Mário Covas, foi inaugurado em 2002 e assumido pela concessionária CCR RodoAnel. Com extensão de 32 quilômetros, o trecho interliga cinco das dez grandes rodovias que chegam à região Metropolitana de São Paulo: Régis Bittencurt, Raposo Tavares, Presidente Castelo Branco, Anhanguera e Bandeirantes. Possui duas pistas de tráfego com trechos de três faixas e quatro faixas de rolamento cada, incluindo 62 viadutos, seis pontes, sete trevos e três túneis duplos. De acordo com a CCR Rodoanel, o trecho recebe cerca de 240 mil veículos por dia.

Trecho Sul
O trecho Sul do Rodoanel conta com uma extensão de 61,4 quilômetros, com início no trecho Oeste, no entroncamento com a rodovia Régis Bittencourt, na altura do município de Embú das Artes, atravessando as cidades de Itapecerica da Serra, São Paulo, São Bernardo do Campo e Ribeirão Pires e termina na interseção de acesso à Avenida Papa João XXIII, em Mauá, e do início do trecho Leste. O trecho também conta com os acessos às rodovias Imigrantes e Anchieta. De acordo com a concessionária SPMar, o trecho recebe cerca de 44 mil veículos por dia.

Trecho Leste
O trecho Leste possui cerca de 43,5 quilômetros e interliga o final do trecho Sul, desde a Avenida Papa João XXIII, em Mauá, até a rodovia Presidente Dutra, em Arujá. O traçado percorre o território em seis municípios: Ribeirão Pires, Mauá, Suzano, Poá, Itaquaquecetuba e Arujá. Esta alça facilita a interligação do cinturão verde do estado, o Alto Tiête, até as principais rodovias do País, possibilitando o rápido escoamento da produção local, a geração de emprego, desenvolvimento econômico e a ocupação urbana adequada. Segundo um levantamento do Centro de Indústrias do Estado de São Paulo, Ciesp, a chegada do trecho atraiu sete novas indústrias para o município de Arujá e 33 para Itaquaquecetuba, apenas durante o período de implantação da rodovia.  De acordo com a concessionária SPMar, o trecho recebe cerca de 24 mil veículos por dia.

Trecho Norte
Único trecho em construção, a alça Norte do Rodoanel terá cerca de 43 quilômetros de extensão. Ele ligará os trechos Oeste da via, a partir da Avenida Raimundo Magalhães, ao trecho Leste, na intersecção com a rodovia Presidente Dutra (BR-116). O trecho Norte também prevê acesso à rodovia Fernão Dias (BR-381) e 3,6 quilômetros de pista do acesso ao Aeroporto de Guarulhos. O traçado inclui 14 túneis, além de 94 obras de artes especiais.
Estima-se que o trecho receberá cerca de 70 mil veículos por dia, de acordo com a concessionária Rota do Horizonte, empresa que será responsável pela alça.

19/02/2016

Assessoria de Imprensa/DNIT-DIR-CGCONT