Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Diretor-Geral do DNIT debate as questões orçamentárias da Autarquia para 2020 com as bancadas de Pernambuco e Goiás

Notícias

Diretor-Geral do DNIT debate as questões orçamentárias da Autarquia para 2020 com as bancadas de Pernambuco e Goiás

INSTITUCIONAL

General Santos Filho apresentou um “cardápio de emendas” aos parlamentares
por publicado: 08/10/2019 18h48 última modificação: 10/10/2019 16h58

O Diretor-Geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), general Santos Filho, participou, nesta terça-feira (8), de reuniões com as bancadas de Pernambuco e de Goiás, na Câmara dos Deputados, para falar sobre questões orçamentárias da Autarquia para o ano de 2020.

No primeiro encontro, com os parlamentares pernambucanos, o general Santos Filho falou sobre o “cardápio de emendas”, feito por meio de um planejamento alinhado com o Ministério da Infraestrutura, e que consiste em sugestões do DNIT aos parlamentares de cada estado, para indicação de emendas, com o objetivo de viabilizar o andamento as obras.

O diretor-geral da Autarquia destacou que a manutenção da malha rodoviária de Pernambuco será prioridade no próximo ano. “Temos uma proposta de emendas, mas a manutenção é uma atividade estratégica que colocamos no DNIT para 2020”, explicou o general Santos Filho.

Ao longo da conversa, o general Santos Filho apresentou outras sugestões de emendas parlamentares para a conclusão de obras, como a BR-101/PE, a BR-104/PE, a BR-423/PE e a BR-428/PE.

Ações prioritárias - Por fim, representando o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o diretor-geral do DNIT participou de uma reunião na Comissão Externa de Obras Inacabadas e apresentou as ações prioritárias da Autarquia para o ano de 2020, além de destacar questões orçamentárias específicas aos deputados da bancada de Goiás presentes na sessão.

O general Santos Filho explicou os critérios utilizados pela Autarquia para a seleção das obras, como por exemplo, a valorização e a priorização da manutenção. “Essa é uma atuação extremamente necessária, porque a malha rodoviária vem se deteriorando ao longo dos anos”, disse o Diretor.

Além da manutenção, a priorização da LOA terá foco nos empreendimentos em corredores logísticos, nas obras consideradas estratégicas, em ações em fase de conclusão e em entregas parciais possíveis já para o próximo ano.

Diante do cenário econômico e orçamentário com restrições, o DNIT reforçou que restringiu obras sem projeto e que evitou a pulverização de recursos. Esse foi o balizamento feito pela Autarquia na constituição da LOA, até mesmo para se evitar paralisação de obras e otimizar o trabalho daquelas que já estão em andamento.

 

Coordenação de Comunicação Social - DNIT