Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Administração Hidroviária da Amazônia Ocidental intensifica serviços em 2019

Notícias

Administração Hidroviária da Amazônia Ocidental intensifica serviços em 2019

RETROSPECTIVA

Entre as principais ações do DNIT, destaque para a retomada de IP4’s na região Norte
por publicado: 20/12/2019 16h18 última modificação: 20/12/2019 16h18

O ano de 2019 foi muito produtivo para o sistema hidroviário da região Norte do país. Além de acompanhar as operações das hidrovias da região – como a do Amazonas, do Solimões e do Madeira –, a Administração Hidroviária da Amazônia Ocidental (AHIMOC) atuou para que Instalações Portuárias Públicas de Pequeno Porte (IP4’s) voltassem a funcionar na região.

Retomaram as operações os pequenos portos de Autazes (AM), Borba (AM), Canutama (AM), Codajás (AM), Guajará (AM), Humaitá (AM), Iranduba (AM), Itacoatiara Novo (AM), Itamarati (AM), Novo Aripuanã (AM), Cai N’Água (RO), Santa Isabel do Rio Negro (AM), Tabatinga (AM), Urucurituba (AM) e Parintins (AM) - esse último, nesta sexta-feira (20). Eles são fundamentais para promover municípios que ficam às margens dos rios e que dependem exclusivamente do transporte hidroviário.

Entre as IP4’s reabertas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em 2019 está a de Cai n'Água, em Porto Velho, Rondônia. O terminal, que estava parado há muito tempo, voltou a funcionar em outubro após obras de equipes da Autarquia. Ele é muito importante para o abastecimento da cidade e para o escoamento da produção local, além de gerar empregos e desenvolvimento para a região.

Seguindo as diretrizes do Ministério de Infraestrutura, o DNIT também reabriu a IP4 do município de Iranduba, situado à margem do Rio Solimões, no estado do Amazonas. O terminal estava fechado desde dezembro de 2018 e voltou a funcionar em setembro deste ano.

Essas foram apenas algumas ações na região. Além disso, duas IP4’s foram concluídas nos municípios de Maués e Parintins (Vila Amazônia), sendo que as obras estão em fase de recebimento pelo DNIT, com investimento de R$ 26 milhões.

Coordenação de Comunicação Social - DNIT