Você está aqui: Página Inicial > Modais > Infraestrutura Aquaviária > Hidrovia do Madeira

Hidrovia do Madeira

por André Cavalcante Moreira publicado 14/11/2018 10h29, última modificação 26/12/2018 17h37
Hidrovia do Madeira nos estados do Amazonas e de Rondônia

A hidrovia do Madeira é uma das mais importantes vias de transporte localizadas no chamado Corredor Logístico Norte. É, também, a segunda hidrovia mais importante do Norte, atrás apenas da hidrovia do Amazonas, da qual é um dos principais afluentes da margem direita.

 Entre suas características está o fato de ser o principal meio de escoamento da produção de grãos, como soja, milho e açúcar proveniente das plantações de Mato Grosso. Esses grãos chegam ao porto de Porto Velho (RO), depois de um percurso de 800 km pela BR-364. Na hidrovia são realizados os deslocamentos de passageiros e o transporte de carga que tem como destino os grandes centros da região Centro-Oeste.

 A hidrovia permite a navegação de grandes comboios, com até 18 mil toneladas, mesmo durante a estiagem. A largura varia entre 440 metros e 9.900 metros, e a profundidade oscila de acordo com as estações seca e chuvosa, e pode chegar a 13 metros.

 

Características Gerais

A hidrovia é formada pelo rio Mamoré que nasce na Serra de Cochabamba, Bolívia, e pelo rio Guaporé. Da confluência dos rios, segue de encontro até o rio Abunã, quando o rio Madeira segue em direção ao Nordeste atravessando dezenas de corredeiras até chegar a Porto Velho (RO), onde se inicia a hidrovia, que percorrer o território de 11 municípios, 8 no estado do Amazonas e 3 no estado de Rondônia.

 Possui largura que varia entre 440 metros e 10 km, com uma declividade de apenas 1,7 cm e um percurso de águas totalmente livres, sem barragens ou qualquer outro obstáculo para a navegação. A profundidade oscila bastante em função das mudanças entre o período das enchentes, que vai de julho a outubro, e da vazante, que vai de fevereiro a maio, podendo chegar aos 18 metros. O rio é navegável durante todo o ano, permitindo o tráfego de comboios de barcaças de carga com até 18 mil toneladas.

 Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT, a hidrovia do Madeira apresenta extensão navegável de 1.060 km, entre Porto Velho e a foz, em Itacoatiara (AM). Destes, aproximadamente 180 km estão dentro dos limites de Rondônia e 876 km no estado do Amazonas.

 O ciclo das águas da hidrovia do Madeira é bem definido, com enchentes entre fevereiro e maio, e vazante, entre julho e novembro, escoando uma vazão média de aproximadamente 22.000 m³/s. Durante o período de cheias, o rio Madeira sofre influência do rio Amazonas, ocasionando em grandes áreas de inundação e elevadas profundidades, alagando os pedrais e praias que afloram nas vazantes nos trechos mais a jusante do rio. No período seco afloram obstáculos, tais como bancos de areia, pedrais e corredeiras em muitos trechos da extensão do rio, que apesar de não interromperem a navegação, aumentam o tempo de viagem e os riscos para a navegação.

 

Abrangência: 11 Municípios no AM e RO (PHE, 2013)

População: 780.916 hab (IBGE, 2010)

Extensão navegável: 1.060 km (Porto Velho a Itacoatiara).

Largura média: 1.000 m

Período de águas baixas: julho/outubro

Período de águas altas: fevereiro/maio

Transporte de carga (2010 a 2014): 21.710.260 ton (ANTAQ, 2015)

Principais cargas: soja; milho; combustíveis, óleos minerais e produtos derivados; outras mercadorias. (ANTAQ, 2015)

  

Localização: 

  

Galeria de Fotos